infoNauta

Crawler Detect

Inscreva-se:

Certificado de Download do Firefox 3

Publicado em:
Por:

Categoria: WebMuseum
Comentários: 0

A Guerra dos Navegadores é uma narrativa épica dentro da história da web.

Nos anos 1990 quando a web apareceu e se popularizou, depois dos primeiros navegadores "artezanais", o Netscape se tornou extremamente popular. Ele era praticamente o padrão para quem queria navegar. Arrume um CD com o instalador do Netscape e comece a navegar!

Porém em pouco tempo a Microsoft decidiu entrar nesse mercado de modo bastante agressivo. Seu novo sistema operacional, o Windows 95, já trazia o navegador Internet Explorer previamente instalado. Com isso a procura pelo Netscape diminuiu muito, afinal, como já havia um navegador "nativo" no sistema operacional, não era mais necessário instalar o Netscape para navegar.

Me permitam um parêntese: para os desenvolvedores esse foi um dos momentos mais tenebrosos da história da web. Os dois navegadores, Internet Explorer e Netscape, passaram a dividir o mercado, cada um sendo usado por um grande número de usuários. O problema é que eles eram muito incompatíveis e o mesmo código gerava resultados diferentes em cada um deles. Com isso era necessário prativamente desenvolver duas versões para cada site, uma para cada navegador. Essa lástima durou até a popularização dos "padrões web" na primeira década do ano 2000.

Voltando... A prática de embarcar o Internet Explorer no Windows 95 resultou em multas, nos Estados Unidos e na Europa, na casa dos bilhões de dólares para a Microsoft. Porém essas multas não foram suficiente para poupar o Netscape, que acabou perecendo e, por algum tempo, tivemos que aceitar a hegemonia do Internet Explorer entre os navegadores.

Até existiam outras opções, mas elas não conseguiam se tornar populares pois os usuários tinham perdido o hábido de instalar um navegador e seguiam usando aquele que já vinha com o sistema operacional. Quem primeiro conseguiu romper essa barreira foi o Mozilla Firefox. Aos poucos as pessoas foram percebendo que ele era muito melhor, mais seguro e, principalmente, mais rápido que o navegador da Microsoft.

O Firefox foi se tornando muito popular e a cada nova versão batia recordes de Downloads. Em 2008, quando lançou sua terceira versão, para comemorar esses recordes a Mozilla gerava um certificado para cada usuário que fazia o download do Firefox. Ganhei o meu em 17/06/2008. Posso colocar no Lattes?

Certificado de Download do Firefox

Atualmente o Google Chrome conseguiu a mesma façanha e desbancou o Firefox.

Seu navegador não possui um plugin para leitura de documentos PDF.
Para ler o documento clique aqui para baixar o arquivo.


Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário

Repita os caracteres no campo abaixo:



adobe agência de propaganda ambiente de marketing ambiente externo ambiente interno artigo científico balanced scorecard banco central bitmap bsc cabernet sauvignon cedilha comunicação digital cibercultura comportamento do consumidor composto de marketing concorrência cultura da internet custo demanda desejo diferenciação eleições email marketing endomarketing estratégia facebook forças competitivas futebol gestão estratégica google html illustrator imagens digitais indesign inovação instagram inteligência coletiva internet jornalismo linkedin livrista lucro macroambiente marca mark-up marketing marketing de conteúdo marketing digital memes merlot michael porter microambiente moeda comemorativa motivação mídia mídia digital mídias digitais mídias sociais necessidade numismática objetivos olimpiadas 2016 orkut photoshop php pierre levy planejamento planejamento estratégico preço produto programação promoção propaganda propagação viral publicidade real redes sociais relações públicas relevância reputação rio 2016 sem seo sites de busca twitter valor vinho virtual walter longo web youtube