infoNauta

ERP - Enterprise Resource Planning

Publicado em: 31/5/2019
Atualizado em em: 31/05/2019

Por: Sergio Mari Jr.

Comentários: 0

Sistemas ERP

Como parte do esforço para melhorar a gestão de informações e construir um Sistema de Informação de Marketing (SIM) eficiente, as organizações podem se utilizar de sistemas do tipo ERP - Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos Empresariais).

Esses sistemas têm como objetivo centralizar todos os dados referentes à operação de uma empresa, de todos os seus setores e funções, em uma única base de dados. Dessa forma é possível que a empresa tenha mais possibilidades de gerar informações estratéticas sobre a totalidade de seus negócios.

Um sistema ERP, que é o correspondente em português para Planejamento dos Recursos Empresariais, é uma arquitetura de sistemas de informação que facilita o fluxo de informações entre todas as atividades da empresa, tais como as quatro principais atividades da organização: fabricação, logística, finanças e recursos humanos. Um banco de dados centralizado, operando em uma única plataforma comum que interage com um conjunto integrado de aplicativos, consolida todas as operações do negócio em um simples ambiente computacional. (BATISTA, 2006, p.115)

Vantagens do ERP

As principais vantagens do ERP se dão devido a sua capacidade integradora. Como todos os dados sobre a operação da empresa estarão em um mesmo sistema, a gestão desses dados se torna mais eficiente.

  • Os dados são incluídos uma única vez, evitando-se duplicidade e eliminando trabalho desnecessário;
  • O cruzamento de dados de diferentes aspectos da empresa podem gerar melhores inforamações e suporte à tomada de decisão;
  • A curva de aprendizado é acelerada, uma vez que os usuários precisarão aprender a operar um único sistema, independe da função que desempenham.

Desvantagens do ERP

Se é possível apontar alguma desvantagem na adoção de um Sistema ERP, devemos ter em mente que tais desvantagens estariam presentes apenas em um primeiro momento, durante a implantação do sistema.

  • Como é um sistema muito abrangente e que tem como objetivo gerenciar todos os recurso da empresa, sua implantação gera uma grande mudança na organização. É natural que, em um primeiro momento, haja resistência por parte de alguns colaboradores a essas mudanças, o que pode provocar problemas de clima organizacional. Porém, passada a fase de implantação, ao perceber os benefícios do sistema, é natural que as resistências diminuam;
  • Também dada à sua abrangência e complexidade, o custo de instalação de um bom sistema ERP costuma ser elevado. Porém, como se trata de um investimento, o que pode parecer uma desvantagem no início, logo se converterá em vantagens competitivas para a organização.

A questão da Modularidade

Faz parte da essência dos sistemas ERP a sua arquitetura modular. Isto é, como suas funções são muito abrangentes e diversas, pretendendo dar conta de todos os aspectos da operação de uma empresa, elas são oferecidas ao mercado na forma de módulos.

O principal conceito relacionado aos Sistemas ERP é o da integração e suporte da maioria de toda a estrutura de processos operacionais da organização associado à disponibilização de informação estruturada para os demais sistemas que irão atuar no foco gerencial e estratégico. Os Sistemas de ERP são, na verdade, considerados um conjunto de Sistemas Integrados, observando-se que alguns modelos contemplam todos os demais (CRM, SCM etc.) em uma única solução, denominando-os como módulos funcionais do Sistema ERP, pois, na verdade, a especialização e a evolução desses módulos e suas respectivas funcionalidades caracterizou a nomenclatura comercial e a possibilidade da implementação segmentada dos mesmos. (STAREC, 2012)

Os módulos de um Sistema ERP são projetados de tal forma que eles funcionem de maneira independente. Assim cada gestor pode selecionar quais funções de sua organização ele pretente gerenciar a partir do ERP.

Cada fabricande de Sistemas ERP define como serão organizados e disponibilizados os módulos do seu sistema, mas é possível apontar alguns módulos que são comumente encontrados e suas respectivas funções.

Tabela 1: Exemplo de organização modular de um Sistema ERP
Módulo Funções
Vendas e faturamento Cadastro de clientes; cadastro de produtos e preços; check-out; faturamento; emissão de notas fiscais etc.
Compras Cadastro de fornecedores; controle de especificações; avaliação de orçamentos e propostas; autorização e pedido de compras etc.
Estoque Quantidade de produtos em estoque; localização e condição do estoque etc.
Produção Controle de produção; disponibilidade de maquinário e capacidade de produção; controles de qualidade etc.
RH Cadastro de colaboradores; gestão de contrados de trabalho; controle de jornada; folha de pagamento; férias e outros benefícios; plano de carreira etc.
Patrimônio Controle do capital imobilizado; imóveis; máquinas e equipamentos; veículos; inventário; depreciação; manutenção etc.
Financeiro Contas a pagar; contas a receber; fluxo de caixa; empenho de recursos; empréstimos e financiamentos; contabilidade etc.

Dependendo do tipo de operação e do ramo da empresa, outros módulos podem ser necessários. Como dito anteriormente, até mesmo sistemas de outra natureza como CRM podem ser disponibilizados na forma de um módulo do ERP.

Referências

BATISTA, Emerson de O. Sistemas de Informação: o uso consciente da tecnologia para o gerenciamento. São Paulo: Saraiva, 2006.

STAREC, Claudio. Gestão da Informação, Inovação e Inteligência Competitiva. São Paulo: Saraiva, 2012.


Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário

Repita os caracteres no campo abaixo:



Conheça o LeadLovers

Aumente as vendas do seu negócio físico ou online com automação de marketing digital

EXPERIMENTE AGORA


adobe agência de propaganda ambiente de marketing ambiente externo ambiente interno artigo científico balanced scorecard banco central bitmap bsc cabernet sauvignon cedilha comunicação digital cibercultura ciência competitividade comportamento do consumidor composto de marketing concorrência cultura da internet custo demanda desejo diferenciação eleições email marketing endomarketing erp estratégia facebook forças competitivas futebol gestão do conhecimento gestão estratégica google html illustrator imagens digitais indesign inovação instagram inteligência coletiva inteligência de marketing interatividade internet jornalismo linkedin livrista lucro macroambiente marca mark-up marketing marketing de conteúdo marketing digital meme memes merlot metodologia michael porter microambiente moeda comemorativa motivação mídia mídia digital mídias digitais mídias sociais necessidade numismática objetivos olimpiadas 2016 orkut pesquisa pesquisa qualitativa pesquisa quantitativa photoshop php pierre levy planejamento planejamento estratégico preço produto programação promoção propaganda propagação viral publicidade real redes sociais relações públicas relevância reputação rio 2016 sem seo sistemas de informação sites de busca twitter valor vinho virtual walter longo web youtube