infoNauta

Crawler Detect

População e Amostra

Publicado em:
Por:

Comentários: 0

População: é um conjunto de elementos que detém uma característica comum sobre o qual se deseja obter informações para se desenvolver alguma análise.

Amostra: é um conjunto reduzido da população que mantém todas as características essenciais da mesma. Uma boa amostra deve ser representativa e imparcial, ou seja, deve conter tudo o que uma população possui, respeitando-se as devidas proporções. O mecanismo de escolha dos elementos para compô-la deve permitir que todos tenham a mesma oportunidade (probabilidade) de ser escolhido.

TIPOS DE AMOSTRA:

  • Amostra Simples ao Acaso (ASA): quando todos os elementos de uma população tem a mesma chance (probabilidade) de ser selecionado para a amostra. É aplicado quando a população é considerada homogênea.
  • Amostra Sistemática: aplicada quando a população está organizada em uma listagem segundo alguma ordem lógica (em ordem alfabética, por exemplo). Divide-se o tamanho da população pelo tamanho da amostra desejada, obtendo-se assim o que se chama de Salto Amostral.
  • Amostra Estratificada Proporcional: quando se trabalha com uma população heterogênea, onde se tem elementos discrepantes, há a necessidade de se dividir a população em grupos, com elementos homogêneos, que se chama estrato. Desses estratos são sorteados os elementos que comporão a amostra. O número de elementos sorteados de cada grupo deverá ser proporcional ao tamanho do grupo.

CÁLCULO DO TAMANHO DA AMOSTRA

Para se calcular o tamanho de uma amostra, ou seja, o número necessário de pessoas a se entrevistar para que se obtenha a precisão estatística desejada, são levadas em conta as variáveis abaixo:

A. Amplitude do universo: Os universos de pesquisa podem ser FINITOS ou INFINITOS. Convencionou-se que os finitos são aqueles cujo número de elementos não excede a 100.000. Universos infinitos, por sua vez, são aqueles que apresentam elementos em número superior a esse.

B. Nível de confiança desejado: O nível de confiança de uma amostra refere-se à área da curva normal definida a partir dos desvios-padrão em relação à sua média. Significa qual a porcentagem da população estará representada na amostra.

1 desvio padrão = 68% de representatividade

2 desvios = 95,5% de representatividade

3 desvios = 99,7% de representatividade

C. Erro máximo permitido: Os resultados obtidos numa pesquisa elaborada a partir de amostras não são rigorosamente exatos em relação ao universo. Esses resultados apresentam sempre um erro de medição. Nas pesquisas sociais trabalha-se usualmente com uma estimativa de erro entre 3 e 5%. Quanto maior a amostra, menor a margem de erro. Porém, quando maior a amostra, mais complexa e dispendiosa a pesquisa se torna.

D. Percentagem com que o fenômeno se verifica: Quanto existe alguma informação prévia a respeito da resposta que se pretende encontrar, esta informação pode ser utilizada para diminuir o tamanho da amostra. Quando não é possível fazer esta estimativa, adota-se a probabilidade média de 50%.

Com estes 4 fatores podemos adotar uma fórmula matemática para o cálculo do tamanho da amostra ideal.

Para POPULAÇÃO FINITA, ou seja, quando a população pesquisada não supera 100.000 indivíduos, a fórmula para o cálculo do tamanho da amostra é a seguinte:

População finita

Onde:

  • n = Tamanho da amostra (número de pessoas que deverão participar da pesquisa);
  • D = Número de desvios padrão adotado (1, 2 ou 3);
  • p e q = Porcentagem em que o fenômeno se verifica (na maioria dos casos 50 e 50);
  • N = Tamanho da população (número total de pessoas que fazem parte do grupo pesquisa);
  • e = Erro percentual máximo permitido (p.ex.: 2, 3, 5);

Para POPULAÇÃO INFINITA, ou seja, quando a população pesquisada supera 100.000 indivíduos, a fórmula para o cálculo do tamanho da amostra é a seguinte:

População infinita

Onde:

  • n = Tamanho da amostra (número de pessoas que deverão participar da pesquisa);
  • D = Número de desvios padrão adotado (1, 2 ou 3);
  • p e q = Porcentagem em que o fenômeno se verifica (na maioria dos casos 50 e 50);
  • e = Erro percentual máximo permitido (p.ex.: 2, 3, 5);

LEMBRE-SE: Estes cálculos servem apenas para definir qual número de pessoas deve ser consultado em uma pesquisa quantitativa por amostragem. Para garantir o bom resultado da pesquisa este número deve ser utilizado em conjunto com um Tipo de Amostra. Caso o tipo utilizado seja a Amostra Estratificada Proporcional é mais importante saber QUEM do que QUANTAS pessoas participarão da pesquisa.


Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário

Repita os caracteres no campo abaixo:



Conheça o LeadLovers

Aumente as vendas do seu negócio físico ou online com automação de marketing digital

EXPERIMENTE AGORA


adobe agência de propaganda ambiente de marketing ambiente externo ambiente interno artigo científico balanced scorecard banco central bitmap bsc cabernet sauvignon cedilha comunicação digital cibercultura comportamento do consumidor composto de marketing concorrência cultura da internet custo demanda desejo diferenciação eleições email marketing endomarketing estratégia facebook forças competitivas futebol gestão estratégica google html illustrator imagens digitais indesign inovação instagram inteligência coletiva interatividade internet jornalismo linkedin livrista lucro macroambiente marca mark-up marketing marketing de conteúdo marketing digital memes merlot michael porter microambiente moeda comemorativa motivação mídia mídia digital mídias digitais mídias sociais necessidade numismática objetivos olimpiadas 2016 orkut photoshop php pierre levy planejamento planejamento estratégico preço produto programação promoção propaganda propagação viral publicidade real redes sociais relações públicas relevância reputação rio 2016 sem seo sites de busca twitter valor vinho virtual walter longo web youtube