infoNauta

Crawler Detect

Inscreva-se:

Tema, Problema e Hipóteses

Publicado em: 26/02/2015
Atualizado em em: 26/02/2015

Por: Sergio Mari Jr.

Comentários: 2

Tema

É uma proposição mais abrangente. É o assunto que se pretende analisar.

Problema

É uma pergunta específica que pretendemos responder a respeito do tema escolhido. O problema está contido no tema. Problema é a “questão proposta para que se dê a solução” (Dicionário Aurélio)

O problema é a pergunta central que queremos responder como pesquisadores ao realizar a pesquisa. Não podemos confundir esta pergunta com as perguntas que faremos aos participantes da pesquisa.

Nem todo problema é passível de tratamento científico, é preciso identificar o que é científico daquilo que não é. Um problema é de natureza científica quando envolver variáveis que podem ser tidas como testáveis. (GIL)

Cada pesquisa tem apenas um tema e um único problema.

No campo empresarial / mercadológico, vale este mesmo critério, ou seja, o Problema da pesquisa deve representar algo passível de ser tratado cientificamente.

O problema deve ser apresentado na forma de uma pergunta. O ato de estruturar perguntas possibilita identificar as dúvidas existentes no cenário que envolve o tema.

A pergunta atua como um vetor, orientando o caminho, os métodos a serem utilizados no decorrer do trabalho. A atividade de formular um problema em forma de pergunta permite identificar o que realmente é essencial e o que é supérfluo na temática.

O problema é, portanto, a pergunta central que pretendemos responder como pesquisadores com a execução da pesquisa.

O problema deve dizer exatamente qual “pedaço” do tema será tratado pela pesquisa. A elaboração do problema deve ser capaz de selecionar um aspecto específico do tema a ser pesquisado, como forma de tornar a pesquisa exequível.

Um Problema de pesquisa bem elaborado deve:

Hipóteses

É sinônimo de suposição. É uma afirmação que tenta responder ao Problema levantado. É uma pré-solução para o Problema. São apontadas de maneira empírica, ou seja, é sempre fruto de uma observação e nunca em função unicamente dos interesses do pesquisador.

Hipo = Abaixo, inferior / Tese = Teoria

Hipotese = o que vem antes da tese, o que não se tem certeza ou ainda não está provado.

Hipótese é sempre uma conjectura inteligente, em relação a um problema, numa tentativa de explicação satisfatória dos fenômenos envolvidos. Como norma, as hipóteses buscam oferecer explicações gerais de relação ou de causalidade, pelas quais os fenômenos se comportam de determinada maneira. (Pedro Marinho)

A pesquisa é posta em prática para confirmar ou negar as Hipóteses (ou suposições) levantadas, ou seja, para comprovar se a suposição de resultado que fizemos inicialmente se confirma ou não.

Cada problema de pesquisa pode ter várias hipóteses de solução.

Um bom RELATÓRIO FINAL de uma pesquisa de mercado deve conter uma explicação técnica de todas as etapas do projeto, introduzindo o tema, apontando o problema, objetivos e hipóteses e, finalmente, apresentando como conclusão uma retomada das hipóteses, dizendo se foram CONFIRMADAS ou NEGADAS, utilizando-se para isso os dados obtidos nos levantamentos realizados.

Referências

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1991.


Comentários

agostinho leio macaza escreveu:
13/04/2017 às 00:46

Muito obrigado ..ja tenho a base pra apresentar um relatorio de pesquisa ou projeto final.

agostinho leio macaza escreveu:
13/04/2017 às 00:56

Agradeco por ter encontrado o matrial essencial pra organizacao de u projecto..nesse caso da pra entender que pra escolher um tema deve existir um problema ,,e de seguida justificarpor ter escolhido o tema pra resolver o seu prolema..isso na fase inicial..existe outros ementos pra ter um relatorio final do projeto

Faça seu comentário

Repita os caracteres no campo abaixo:



adobe agência de propaganda ambiente de marketing ambiente externo ambiente interno artigo científico balanced scorecard banco central bitmap bsc cabernet sauvignon cedilha comunicação digital cibercultura comportamento do consumidor composto de marketing concorrência cultura da internet custo demanda desejo diferenciação email marketing endomarketing estratégia facebook forças competitivas gestão estratégica google html illustrator imagens digitais indesign inovação instagram inteligência coletiva internet jornalismo linkedin livrista lucro macroambiente marca mark-up marketing marketing de conteúdo marketing digital merlot michael porter microambiente moeda comemorativa motivação mídia mídia digital mídias digitais mídias sociais necessidade numismática objetivos olimpiadas 2016 orkut photoshop php pierre levy planejamento planejamento estratégico preço produto programação promoção propaganda propagação viral publicidade real redes sociais relações públicas relevância reputação rio 2016 sem seo sites de busca twitter valor vinho virtual walter longo youtube