infoNauta

Crawler Detect

Inscreva-se:

Editoração Eletrônica

Publicado em: 23/10/2015
Atualizado em em: 28/03/2016

Por: Sergio Mari Jr.

Comentários: 0

Editoração eletrônica é o ramo da computação gráfica voltado para a produção de peças gráficas e editoriais, tais como jornais, livros, revistas, catálogos, malas diretas, folhetos etc. por meio de ferramentas computadorizadas. O processo de Editoração Eletrônica pode envolver etapas como:

  1. Preparação das fotos originais (tratamentos e correções);
  2. Preparação dos textos originais (correção de problemas de digitação);
  3. Adequação ao Projeto Gráfico (padrões a serem seguidos);
  4. Diagramação;
  5. Paginação;
  6. Revisão;
  7. Fechamento de arquivo ou preparação para a impressão.

Cada Aplicativo tem uma função

Os programas de Processamento de Texto são projetados para simplesmente escrever e editar um texto. Nesses programas, algumas vezes pode ser difícil executar efeitos especiais, como a utilização de fontes diferentes para numeração de páginas, o traçado de caixas em torno do texto e linhas verticais entre as colunas.

Um programa para Composição de Páginas tem o papel central em um sistema de editoração eletrônica e é utilizado como ferramenta de acabamento e combinação de texto e gráficos da publicação. Você provavelmente utilizará um programa de processamento de textos (ex.: Microsoft Word) e um programa gráfico (Ex. Adobe Photoshop) para a criação dos textos e gráficos e só depois um programa de Composição (Adobe InDesign) para agregar os elementos em uma página. O programa de composição permite que você ajuste o projeto da página ao mesmo tempo em que coloca os elementos que farão parte dela. Isso é possível pelo fato de os elementos eletrônicos poderem ser facilmente movidos, cortados, copiados, terem o tamanho alterado, editados e remontados na página. (BOVE e RHODES, 1989)

Diagramação e Paginação

A diagramação é o elemento “invisível” da página (...). Ela ainda se enuncia por cores, espaços vazios, brancos, tamanhos de tipos, linha divisórias (...). Não podemos esquecer que distribuição, posicionamentos e dimensões da imagem exercem impacto no leitor e servem como balizadores da interpretação (...). A título de ilustração, podemos dizer que a diagramação está para a notícia na revista assim como a edição para o telejornal. (CAMARGO, 2008)

Diagramação é um conjunto de leis compositivas que podem ser identificadas como unidade, ritmo, harmonia, variedade, destaque, contraste, brilho, equilíbrio, simetria e intensidade, que manipulam textos e imagens a fim de facilitar, tornar agradável a leitura de um jornal ou revista. (COLLARO, 2000)

O termo paginação conota a tipografia artesanal e quer dizer montagem de títulos, notícias e ilustrações. O termo diagramação significa isso também, mas tende a exprimir mais corretamente que a montagem da página se relaciona com uma estética que não se limita aos elementos gráficos, mas inclui a produção editorial.

A diagramação é um estágio superior à paginação. Um jornal não pode deixar de ser paginado, mas pode deixar de ser diagramado. No entanto, para exprimir um padrão visual próprio, aliando arte e técnica, precisa ser diagramado. Assim, um jornal diagramado é mais do que um jornal paginado.

A diferença entre uma e outra é sutil, mas enquanto o paginador deve ter apenas noções gráficas, o diagramador deve ser um especialista, com conhecimentos de redação, de gráfica e de técnicas visuais. (PORTA, 1958)

Referências

BOVE e RHODES, Desktop Publishing. São Paulo: McGraw-Hill,  1989

CAMARGO, Hertz Wendel de. Narrativas Visuais na página. In. Discursos Fotográficos v.4, n.5. Londrina, 2008

COLLARO. Projeto Gráfico. São Paulo: Summus, 2000)

PORTA, Frederico. Dicionário de artes gráficas. Porto Alegre: Globo. 1958


Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário

Repita os caracteres no campo abaixo:



adobe agência de propaganda ambiente de marketing ambiente externo ambiente interno artigo científico balanced scorecard banco central bitmap bsc cabernet sauvignon cedilha comunicação digital cibercultura comportamento do consumidor composto de marketing concorrência cultura da internet custo demanda desejo diferenciação email marketing endomarketing estratégia facebook forças competitivas gestão estratégica google html illustrator imagens digitais indesign inovação instagram inteligência coletiva internet jornalismo linkedin livrista lucro macroambiente marca mark-up marketing marketing de conteúdo marketing digital merlot michael porter microambiente moeda comemorativa motivação mídia mídia digital mídias digitais mídias sociais necessidade numismática objetivos olimpiadas 2016 orkut photoshop php pierre levy planejamento planejamento estratégico preço produto programação promoção propaganda propagação viral publicidade real redes sociais relações públicas relevância reputação rio 2016 sem seo sites de busca twitter valor vinho virtual walter longo youtube