infoNauta

Os Computadores - Software

Publicado em: 23/10/2015
Atualizado em em: 24/03/2016

Por: Sergio Mari Jr.

Comentários: 0

O Software corresponde à parte lógica do computador, ou seja, àquela parte não palpável ou não material. Refere-se, portanto, às linguagens de programação e aos programas de computador.

Assim que ligamos o computador, vários softwares começam a ser executados para que ele funcione. Cada um de um tipo e cada um com sua função.

BIOS

O primeiro programa executado quando o computador é ligado é o BIOS (Basic Input/Output System ou Sistema Básico de Entrada/Saída). Executado assim que o computador é acionado, seu papel é ligar o equipamento e colocar o hardware para funcionar, verificando a memória, ligando os HDs, mouse, teclado e demais dispositivos.

Na maioria dos computadores o BIOS possui uma interface que pode ser acessada no momento em que o computador está sendo inicializado por meio de algum atalho de teclado, como a tecla Del ou F8, por exemplo.

SISTEMA OPERACIONAL

O segundo programa executado quando o computador é ligado é o Sistema Operacional. Seu papel é criar uma interface compreensível entre o homem e o computador.

MsDOS, Unix, Windows, Linux e MacOS são exemplos de sistemas operacionais mais conhecidos.

Sistemas operacionais mais antigos, como o Unix e o MsDOS, por exemplo, eram operados por meio de comandos textuais, que deveriam ser conhecidos pelo usuário para que pudesse trabalhar com o computador.

Por exemplo, o MsDOS, ou simplesmente DOS, que foi o primeiro Sistema Operacional desenvolvido pela Microsoft, funcionava da seguinte maneira: Ao ligar o computador, depois que a BIOS era executada e algumas funções básicas eram carregadas, era apresentada uma tela monocromática, normalmente com fundo preto e letras verdes ou brancas, contendo apenas a seguinte informação:

A:>_

A partir dai o usuário precisaria digitar algum comando para que o computador fizesse mais alguma coisa.

Já os Sistemas Operacionais modernos, como o Linux, o Windows 10 da Microsoft, ou MacOS X da Apple, possuem interfaces gráficas que são carregadas assim que o sistema é iniciado. Dessa forma o usuário não tem contato com os códigos ou comandos de texto, e pode operar o computador por meio de imagens exibidas na tela.

Outros dispositivos que se aproximaram dos computadores recentemente, como os celulares e tablets, também possuem sistemas operacionais, sendo que os mais comuns são o IOs da Apple, o Android do Google e o Windows Phone da Microsoft.

APLICATIVOS

O terceiro tipo de software que pode ser acessado por um computador são os Aplicativos ou Applications (Apps). Eles são os mais comuns e os que existem em maior quantidade.

Aplicativos são programas que funcionam a partir do Sistema Operacional e cada um desempenha uma função (aplicação) específica, por exemplo:

Ferramentas e acessórios: calculadora, bloco de notas, visualizador de imagens etc.

Escritório (office): editor de texto, planilhas eletrônicas, editor de apresentações etc.

Empresariais: controles financeiros, cadastros, ERP, CRM etc.

Imagem e criação: Editores de fotografia, ilustradores, editoração eletrônica etc.

REFERÊNCIAS

DICIONÁRIO de informática, multimídia e realidade virtual. São Paulo: Melhoramentos, 2001.

Cedilha 2007: Muito trabalho e pouco Glamour

Publicado em: 22/08/2014
Atualizado em em: 10/12/2015

Por: Sergio Mari Jr.

Comentários: 0

Cedilha 2007Em 2015 a Cedilha Comunicação Digital completa 10 anos de atividade. Para comemorar selecionei 10 vinhos, um para cada ano de atividade da empresa. Este é o terceiro.

No ano anterior tínhamos mudado radicalmente o modelo de negócio da empresa, que deixou de funcionar no meu quarto para ter uma sede de verdade em uma sala comercial de verdade, ganhei dois sócios e passamos a oferecer um leque maior de serviços, que iam da confecção de logotipos e cartões de visitas até campanhas publicitárias completas para todas as mídias.

Por isso o ano de 2007 foi de muito trabalho e, talvez por isso, pouco glamour. Altos e baixos. Foi até hoje um dos anos em que mais produzimos e com certeza o ano em que atendemos o maior número de clientes individuais, mas também acredito que foi o ano em que tivermos mais problemas.

Não foi difícil perceber que tínhamos errado no core business. Montamos um plano de negócio que queria abraçar o mundo. Aos poucos percebemos que isso daria muito trabalho e pouco retorno. Eu, meus dois sócios e mais dois funcionários, poir mais competentes que fossemos, éramos pouca gente para muito serviço.

Foi um desses clientes que nos presenteou no final do ano com esse vinho que escolhi para representar 2007. Um vinho simples, de uma marca simples, nada sofisticado, promocional, com rótulo personalizado com a marca do nosso cliente, produzido em grandes quantidades e vendido bem barato...

Como foi um ano confuso, apesar de produtivo, o vinho também tinha que ser um pouco confuso. Não faço ideia de qual uva seja feito e apenas suponho que tenha sido produzido em 2007. Nunca saberei!

Não tenho planos ambiciosos para tomar este, pois há uma grande chance de que não esteja em condições de consumo daqui há alguns anos. Caso aconteça talvez o utilize para temperar uma boa salada.

tsu.co

News Letter

Gostaria de tê-lo em minha rede de contatos para envio de informações e conteúdos relevantes sobre os temas abordados neste blog. Caso tenha interesse por favor cadastre seu e-mail:

Vídeos

Fundamentos de Marketing - 06 - Composto de Marketing

mais vídeos

Conteúdos de aulas

Twitter

adobe agência de propaganda artigo científico banco central bitcoin bitmap cabernet sauvignon cedilha comunicação digital comportamento do consumidor concorrência cotação custo câmbio demanda desejo digital dólar economia endomarketing estratégia facebook forças competitivas gestão estratégica google illustrator imagens digitais indesign inovação instagram internet jornalismo linkedin lucro marca mark-up marketing marketing de conteúdo marketing digital michael porter moeda moeda comemorativa motivação mídia mídia digital necessidade numismática olimpiadas 2016 orkut photoshop preço produto promoção publicidade real redes sociais relações públicas relevância reputação rio 2016 twitter valor vinho walter longo youtube